terça-feira, 25 de julho de 2017

Conclusão

De amor não morro mais. 
Morro de frio, fome, tédio, 
raiva, dor, bala perdida, 
bomba e corte no pé. 

De amor eu vivo, sobrevivo, 
transcendo os dias, meses, anos, 
vou rumo ao infinito,
ganho mais de sete vidas. 

Se me mata não é amor. 
Do amor que mata já morri tantas vezes
Que quase nada restou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário