terça-feira, 29 de novembro de 2016

26 de novembro

Porque o amor se constrói na constância do tempo, nos silêncios do quarto e até mesmo nas grandes distâncias. O amor se faz quando parece estar inerte, dormente, alheio ao mundo. Ele se finge de bobo, age na surdina, nas entrelinhas das tardes preguiçosas.


*Texto no Livro da Tribo 2016 - Dia 26 de novembro.





Nenhum comentário:

Postar um comentário