quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Mal crônico

não sei onde começo
muito menos onde termino
desconheço minhas coordenadas
lugar no tempo e espaço


percorro um emaranhado de linhas
me curvo ao acaso
obedeço meu instinto
e sigo sofrendo de infinito


Nenhum comentário:

Postar um comentário