domingo, 6 de dezembro de 2015

Falo teu nome em voz alta


Falo teu nome em voz alta
Sílaba por sílaba lentamente
Letra a letra se desprendendo no ar
Bolhas de sabão ao vento
Sussurro baixinho
Gemido doído
Depois berro infinitas vezes
Até teu nome perder a cor
Torna-se vazio
Não mais fazer sentido
Sons dissolvidos na noite
E teu nome assim não é nada
Quase um grunhido
Fonema sem alma

Nenhum comentário:

Postar um comentário