quinta-feira, 7 de maio de 2015

Livre-se

sê livre!
livre-se de mim

te liberto agora pequeno pássaro
das garras longas do que penso amor

não posso mais cuidar de ti
zelar teu sono
vigiar teus dias
cuidar de mim

custa-me suportar
o peso do teu corpo
o embaralhar da alma
teus olhos a zombar dos meus

sê livre para que eu possa ser também

toma pela mão tua liberdade
sobrevoa continentes

e canta alto
mas não tão alto para que eu possa ouvir


Nenhum comentário:

Postar um comentário