terça-feira, 21 de abril de 2015

O fim justifica os meios

Amanhã vou acordar tarde, bem tarde, perto do meio dia e vou tomar banho com aquele sabonete cheiroso, vou acender uma vela, ouvir Radiohead em loop e te ligar. Vai ser uma ligação muito, muito longa, sem me preocupar com o preço, sem me preocupar com o tempo, tudo pra te contar sobre o meu novo trabalho, falar sobre o último jogo do Botafogo, o vestido novo, de como é dificil  respirar nesta cidade que arde, vou reclamar da minha mãe, da cerveja que não estava tão gelada assim, do aluguel que subiu, do ônibus lotado e sempre atrasado, vou dizer bobagens, te contar piadas, meus sonhos da noite passada, o último livro que li, o filme de domingo. Vai ser tudo tão leve, doce, risonho e quando você estiver embriagado, tonto com tanta novidade com tanto assunto sem pé e sem cabeça, carente de nexo e lógica vou te dar a grande notícia, vou te dizer entre assobios, como se fosse música, mas com precisão de um golpe de judô: ainda te amo.


Karina Yashagin


Nenhum comentário:

Postar um comentário