domingo, 26 de abril de 2015

Desejo

Desejei tua morte como um dia desejei teus olhos fixos, claros, postos só em mim, mas era pouco. 

Desejei tua morte como desejava tua boca precisa, pronta para o meu esperado sim, mas ainda era muito pouco. 

Então, desejei tua morte como desejava em tuas ausências teu corpo colado, dentro, se desfazendo sobre o meu. E isso foi o bastante: agora, não desejo mais tua morte, te quero vivo.




Nenhum comentário:

Postar um comentário