terça-feira, 19 de agosto de 2014

Para Adélia


Da solidão fiz uma trança
Da saudade catavento
Desejei de novo ser só minha
Como quando era menina
Perdida nas lonjuras 
Por detrás das cortinas do tempo.

Marie-Esther

Nenhum comentário:

Postar um comentário