terça-feira, 19 de agosto de 2014

Para Adélia


Da solidão fiz uma trança
Da saudade catavento
Desejei de novo ser só minha
Como quando era menina
Perdida nas lonjuras 
Por detrás das cortinas do tempo.

Marie-Esther

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

15 graus

E este frio, esta música, esta tarde, o trabalho sobre a mesa, o chá e tudo mais que grita, que suplica, implora uma pausa, ainda que breve, desta tua falta que já é maior que o frio, a música, a tarde, o trabalho, o chá e tudo mais que sobra, abunda, transborda, sufoca e grita.




segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Conteúdo

O que tem de amor na palavra amor? Será possível encontrar em leves ondulações do M todo o afeto guardado? No interior de qual vogal se escondem os sonhos e a saudade?

E o desejo, cabe todo ele na palavra desejo? Posso adivinhar na dança do S o movimento ritmado da tua língua em minha boca? Posso em um J insinuar o caminho de tuas mãos?