quarta-feira, 12 de junho de 2013

12 de junho

Hoje não vou falar de amor.

Não vou falar desse amor lenga-lenga, cheio de diminutivos e chocolate granulado. 

Não vou falar do amor silêncio maciço dos velhos casais que se amparam no caminhar um do outro, que tudo sabem no olhar. 

Não, por hoje não.

Chega do amor dos jovens namorados, noivos, recém-casados que seguem de mãos dadas certos de um futuro, certos de encontrar na próxima esquina a felicidade.

Muito menos vou falar do amor urgente dos que se esfregam e se enlaçam pelas estações e trens do metrô, do fogo da pele, dos beijos esparramados antes da partida.

Hoje, só por hoje, não vou falar de amor. Vou me calar, me fechar e o amor, só vou sentir.




Nenhum comentário:

Postar um comentário