terça-feira, 5 de março de 2013

Escolhi vir caminhando, não porque fosse perto ou fácil, mas simplesmente porque andando, zanzando pelas avenidas eu conseguia visualizar melhor o momento quase mágico em que me encontrava. Só entende o destino quem sobrevive a ele e eu havia sobrevivido.Tudo e todos passavam misteriosamente e repentinamente a fazer sentido, tudo se encaixava como em um daqueles grandes quebra cabeças que montavamos, quando crianças, na sala de jantar em férias de verão que o sol se recusava a aparecer. Tudo agora tão claro e tão nítido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário