segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Outro lugar


Não, eu não estava lá. Não ouvia Pink Floyd no volume máximo esperando a festa acabar às três da manhã imaginando o vento frio de junho lá fora. Eu estava aí. Em outro tempo, futuro do subjuntivo, pretérito imperfeito, observando a tarde acabar nas dobras da cortina, sentindo o cheiro do cimento quente molhado depois da chuva. Em outra casa, em seus braços, ao som de outras músicas, bebendo chá gelado com limão. Que pés me trouxeram até aqui? Em qual trilha me perdi? As pálpebras pesadas, a alma mais pesada ainda, corpo dormente, biscoito de chocolate esfarelado no sofá da sala. Vontade infinita de ignorar que eu estava lá, só querendo estar aí.


Um comentário:

  1. Nossa! Amei isto!
    Texto e foto impressionantes. Nada como começar o dia com um texto bem escrito.
    Obrigado.

    ResponderExcluir