quarta-feira, 20 de junho de 2012

Da despedida

Engulo a seco o amor que ainda tenho
calo as palavras que restam
recolho lágrimas.

Apago o desejo da pele
longos telefonemas 
calafrios noturnos

Sobrevivo. 

De hoje em diante não mais espera
só saudade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário