sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

As coisas que realmente precisam ser ditas estão nos espaços brancos entre as palavras, entre linhas, depois do rodapé. O importante e necessário está no final do capítulo, naquele suspiro longo  enquanto se olha  a paisagem pela janela, com o dedo indicador marcando precariamente a página no livro fechado descansando sobre a perna. O que realmente importa só é dito no fim da folha, aí é que toda a obra faz sentido, tudo se revela e se desnuda, verdade definitiva.

Nenhum comentário:

Postar um comentário