domingo, 14 de agosto de 2011

Felipe

Espia, meu filho
O mundo por detrás das grades do portão
Espia o cão, a moto, a grama
O azul que tudo recobre
Espia o som do relógio
As revistas de bordado
Os pratinhos chineses

Espia, meu filho
As marcas nas mãos do avô
Espia o canto escuro da gaveta
A fechadura
A banana
Espia o sorisso da tia
O cheiro da cozinha da avó

Espia tudo do jeito que tudo deve ser espiado
Espia devagar, com calma e alegria
Absorva a essência do espiado e guarde em silêncio

Espia o correr do tempo que também te espia

Um comentário: