quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Realidade misturada

O blush tenta sem sucesso me dar a cor que o sol se negou.
Um beijo rasga minha boca.
O gosto da sua pele grudada na minha.
O vinho que molha meu corpo escorre pelos lençóis.
O cheiro de pão invade a sala no meio da novela.
Pés na terra e a cabeça em Marte
Ou em qualquer outro lugar que não aqui.
Planilha cheia de dados irrelevantes,
Números que não me dizem nada.
Quero mas não consigo me lembrar daqueles versos antigos
Tantas vezes sussurrados, gemidos e lambidos
Nos ouvidos, no ventre, por entre as coxas.
Violetas murchas na bancada do banheiro me espreitam.
Labirinto de ideias.
Potes coloridos na geladeira.
As badaladas do relógio da catedral.
Meu coração também não está aqui,
Não neste tempo,
Não neste espaço.
No meio da chuva que se espalha pela cidade.
Em algum lugar em que já estivemos,
Em lugares que talvez nunca estarei.

Um comentário:

  1. Gostei da leitura lá na oficina, lendo agora, senti bem esse ritmo devaneante, frases soltas, leves, sem nada muito explicadinho, muito bom.
    Bjo.

    ResponderExcluir