quarta-feira, 20 de maio de 2009

O nascimento de Vênus


Manhã de domingo, calor.Um leve incomodo no ventre. A noite havia sido agitada: sonhos e pesadelos, medo e excitação.

Ela se levanta, uma estranha sensação percorre seu corpo, se olha no espelho demoradamente e meticulosamente. Apalpa seu corpo. Os pequenos seios se insinuam pela camisola fina. Os cabelos curtos mostram a curva do pescoço.

Olha-se no espelho mais uma vez e se descobre bonita. Sorri.

Os olhos faíscam, o ventre dói e ali no espelho, não mais se vê, é outra. Outras mãos, outros pés, outro ser.

Vê-se mulher e o corpo se contrai bruscamente. Se contorce com a dor mas sorri e compreende que naquele instante morre uma e nasce outra.

Morre a menina e nasce a mulher no sangue quente que escorre por suas
pernas.